Hoje escrevi pra você

Sei lá.
É uma boa frase para começa um texto. Pelo menos é o que eu acho nesse ponto crucial da minha vida.
Confesso que não tenho sido a melhor pessoa do mundo ( mas como posso, ser a melhor pessoa do mundo todos os dias as vezes é chato), mas nem tudo tem sido o melhor.
Quer saber de outra confissão?
Estou confusa.
Me pergunto quando será que o amor vai deixar de ser suficiente?
E quando ouvir os outros vai ser importante?
Quem escolhe: sou eu?
Me conta você, o que você pensa que vai acontecer? (pensa, imagina, vamos falar sobre isso na telepatia).
As vezes eu queria que você pudesse se ver através dos meu olhos, você ia gostar.
Vamos fazer um trato?
Que tal assim: eu te amo e você me ama.
Mas não é qualquer amor não, é aquele que dura mais que o pra sempre (parece que é muito mas quando se ama alguém a eternidade é um pequeno tempo ao lado de quem se ama), aquele que passa por tudo e vence tudo, aquele que canta antes de dormir e dança quando acorda, amor com cheiro de fruta e gosto de pimenta, amor sábio e santo com uma melodia que mistura blues e rock, funk e mpb mas sem forró, sertanejo e pagode, amor que nem os poetas sentiram e que só você vai saber descrever.
Sei lá.
Acho particularmente uma ótima maneira de terminar um texto, quando ele ainda não tem nenhum final.

Um comentário:

Sil.. disse...

Aiiii...que lindooooo Thais!

Um abraço meu!

Sigam - me os bons