ele - 1ª parte


- ei!
- sim?
- posso sentar?
- acho que você já está sentado.
- olhando bem, você tem razão.
- claro que eu tenho razão.
- pelo visto você é daquelas pessoas que sempre acham que tem razão em tudo.
- eu não acho nada. eu tenho certeza.
- é eu estava certo. você é a Srª Certeza da Razão.
- pq Srª?
- não é casada?
- não.
- noiva?
- está vendo alguma aliança?
- então tem namorado?
- o que você acha.
- que não.
- então pq me chamou de Srª já sabendo que sou solteira?
- não quis arriscar tanto. já foi um risco e tanto puxar assunto.
- você não puxa assunto?
- normalmente não, mas você me induziu a isso.
- eu? nem fiz nada. nem tinha te visto por aqui.
- eu sei, foi brincadeira.
- rum.

(...)

- você é da onde?
- rio de janeiro e você?
- são paulo.
- vixe, outro paulista.
- bom com esse seu vixe pensei por um momento que você fosse baiana e estava me enganando mas depois desse paulista meio xiado ... você é carioca mesmo.
- eu não falo xiando.
- fala sim.
- falo não.
- fala sim.
- falo não e ponto final.
- concordo com o ponto final nesse assunto em que todos sabem que você fala xiando sim.
- ai.
- agora você não xiou.
- vamos mudar de assunto?
- sem xiar?
- você é chato, viu?
- que nada. sou implicante. você não tem defeitos?
- o que parece?
- que você reclama de tudo, ronca, tem mau hálito e chulé.
- então porque você veio conversar comigo?
- eu gosto do imperfeito.
- então você já gosta de mim?
- com tantos defeitos assim eu diria até que já te amo.
- então já podemos casar.
- assim tão fácil?
- é que meu sonho é casar com alguém que ame os meus defeitos.
- ah, você é romântica.
- não.
- então porque você sonha isso?
- só estava te zuando.
- eu quase acreditei.
- então você quase casou comigo?
- faltou pouco, muito pouco.
- gosto desta musica.
  " será que você volta, tudo a minha volta é triste....
   .... de novo pra você palpite..."
- boa musica, escolheu muito bem.
- "eu sinto a falta de você
    me sinto só e ai
   será que você volta, tudo a minha volta
   é triste ..."
- você canta mal.
- "o amor pode acontecer de novo pra você palpite."
- você canta muito mal.
- quem te perguntou alguma coisa?
- agora é um jogo de perguntas e respostas?
- não.
- então eu posso falar quando eu quiser ou isso aqui é regime militar?
- bocó.
- eu curto essa musica.
  "fundamental é mesmo o amor é impossivel ser feliz sozinho..."
- você também canta mal.
- quem te perguntou?
- ninguém, mas eu falo quando eu quiser.
- intrometida.
- a intrometida aqui tem que ir.
- já?
- já.
- posso te ver de novo?
- não.
- sim.
- vamos entrar em outra discussão?
- então vem me ver?
- porque eu iria fazer isso?
- porque eu gostei de você e queria muito que você gostasse de mim.
- hum.
- me dá a sua mão.

Ele anota um telefone.

- me liga quando estiver vindo.
- aqui no mesmo lugar?
- sim.
- te vejo amanhã.
- tchau.

Ele anda um pouco.

- ei, qual é o seu nome?
- pode me chamar de futuro, menina.


[continua]

3 comentários:

taisatencio disse...

Nossa!!! Que legal!
Me lembrou uma pessoa! Me lembrou muuuuito uma pessoa! rsrs

Adorei!
Beijao

Marcela Alves disse...

rrs interessante, estou ansiosa para ver o restante...

beeijos

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Ansiosamente espero a continuação...você redige muito bem,dá para visualizar a cena!!

Um beijo!

Sonia Regina.

Sigam - me os bons